Veja como foi a repercussão de mais uma derrota do Grêmio

Tricolor foi batido pelo Fortaleza por 1 a 0, no Castelão


Fonte: Gaúcha ZH

Lauro Alves / Agencia RBS
O Grêmio comandado pelo interino Thiago Gomes teve uma postura mais agressiva do que nos últimos jogos de Luiz Felipe Scolari, mas que acabou sendo insuficiente para evitar uma nova derrota no Campeonato Brasileiro. Na noite desta quarta-feira (13), o Tricolor sofreu um gol de Yago Pikachu aos 33 minutos do segundo tempo e acabou batido pelo Fortaleza por 1 a 0, no Castelão.



Com o Grêmio na vice-lanterna e com apenas um ponto conquistado dos últimos 15 disputados, a pressão aumenta para a direção na definição do substituto de Felipão. Mesmo que o Tricolor tenha tido pontos positivos no Castelão pela postura mais agressiva, o resultado negativo jogou contra a ideia defendida por alguns dentro do clube de efetivação do interino Thiago Gomes.


O vice de futebol Marcos Herrmann não fará parte desta busca por um novo treinador. Após a partida no Castelão, ele anunciou sua demissão, do cargo que ocupava desde abril.


"Eu gostaria de em nome da diretoria do Grêmio pedir desculpas pela campanha do Grêmio. Estamos trabalhando duramente, mas, infelizmente, os resultados não aparecem. Faço um apelo para acreditar que ainda é perfeitamente possível sair dessa situação. Faltam 14 jogos e estamos a cinco pontos de sair do Z-4. Em 2003, por exemplo, estávamos em situação pior e nos salvamos", declarou o dirigente, que em sua última manifestação no cargo pediu apoio da torcida aos jogadores:


"Estamos passando por um momento de transição e confesso que não sabia que seria tão difícil, mas o clube tem condições de superar esse momento. Reitero que é fundamental que não falte apoio da torcida, principalmente, aos jogadores. Quando houver erro nos jogos de Porto Alegre, a torcida precisa apoiar. É hora de alento", completou.


O interino Thiago Gomes avaliou como boa a atuação do Grêmio no primeiro tempo no Castelão, mas admitiu as dificuldades na segunda etapa. Ele explicou a decisão de iniciar a partida com três zagueiros e mostrou confiança no poder de reação do elenco gremista.


"Analisamos o Fortaleza e identificamos que era um time que jogava muito baseado na saída com três zagueiros. Os zagueiros deles tocam muito a bola. Em cima dessa estratégia, para marcar alto, optamos por ter dois atacantes rápidos e com três zagueiros ter alas para bater com os alas deles. Fizemos um bom primeiro tempo, com mais finalizações e posse de bola no campo de ataque. Executamos bem a nossa proposta, mas jogar aqui é difícil", pontuou.


"O nosso grupo é competitivo e fica chateado com a derrota, mas o ambiente no vestiário é de todo mundo concentrado. Ontem (terça-feira), quando cheguei, conversei com os jogadores e estávamos confiantes. A partida teve dois tempos distintos, o Grêmio melhor no primeiro tempo e o Fortaleza no segundo. Eles foram mais felizes nas finalizações, mas estamos confiantes de que podemos alcançar o aproveitamento necessário", completou o interino, que garantiu não ter sido comunicado pela diretoria sobre até quando seguirá comandando o time.



A nova derrota gremista aumentou o caráter decisivo do confronto com o Juventude no próximo domingo, às 18h15min, na Arena. O time de Caxias do Sul é, justamente, o primeiro fora da zona de rebaixamento, com 28 pontos, cinco a mais que o Tricolor. Suspenso pelo terceiro amarelo, o zagueiro Ruan será desfalque. O volante Thiago Santos, o lateral Rafinha e o meia-atacante Douglas Costa voltam a ficar à disposição após terem cumprido suspensão diante do Fortaleza, assim como Mathias Villasanti, que está com a seleção paraguaia na rodada tripla das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022.

#gremio #imortal #tricolor #brasileirao #repercussao

LEIA TAMBÉM: Veja todas as informações sobre o duelo entre Grêmio e Juventude neste domingo (17)

E MAIS: Na estreia de Mancini, Grêmio recebe o Juventude na Arena




Comentários



Roberto Puglia     

A saber: Breno, Vanderson,Juan, Rodrigues,Guedes, Darlan,, Sarará,JP, Ferreira. A considerar que um doa profissionais wra o Alisson, jogador esforcado mas mediano.

Roberto Puglia     

Jogamos ontem com 9 meninos recem saidos das divisões de base. Uns talentosos, outros nem tanto. Como a presidência contrata só cabeca de bagre velho, é a situação que estamos. Nenhum time encara o Brasileiro com juvenis.

Nosso problema não é treinador e sim os jogadores. A potência de seus chutes se equivalem a de meninos recém admitidos na base. Vergonhoso. Se os atacantes pelo menos fizessem um gol por partida, não estariamos nestadores. Os atacantes não sabem chutar a l

Acho que o Thiago deveria permanecer até o fim. Ele é competente, conhece profundamente o plantel, os jogadores o respeitam e ninguém mais do que ele conhece a base.

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.

Leia também

18/10/2021























17/10/2021