Sem sustos, Grêmio vence o Ceará pelo Brasileirão

No reencontro com o técnico Tiago Nunes, Tricolor teve aturação segura e ganhou uma posição no Campeonato Brasileiro


Fonte: Gaúcha ZH

Foto: Pedro H. Tesch/AGIF
Era preciso vencer, e o Grêmio venceu. Após duas semanas de treinos, o Tricolor bateu o Ceará por 2 a 0 na manhã deste domingo (12), na Arena, no começo do segundo turno do Campeonato Brasileiro. Destaques na conquista do título gaúcho sob o comando de Tiago Nunes, Diego Souza e Ferreira marcaram os gols gremista no reencontro com o ex-técnico.



A vitória ainda não foi suficiente para sair da zona de rebaixamento, mas o Grêmio, pelo menos, ganhou uma posição. Agora é 18º, com 19 pontos, a três do primeiro time fora do Z-4, o São Paulo.


O Tricolor voltará a campo na quarta-feira, às 21h30min, para enfrentar o Flamengo no jogo de volta das quartas de final da Copa do Brasil. No próximo domingo, o Rubro-Negro também será adversário, mas pelo Brasileirão. As duas partidas estão marcadas para o Maracanã.


Felipão surpreendeu na escalação para receber o Ceará na Arena. Geromel, por uma lesão sofrida no pé direito durante treino de sábado, não ficou nem no banco, onde esteve Kannemann na primeira opção do treinador gremista que chamou atenção. A zaga, então, foi formada pelos garotos Ruan e Rodrigues. No meio-campo, Lucas Silva acompanhou Thiago Santos enquanto Jhonata Robert acabou sendo escolhido para se juntar a Alisson, Ferreira e Diego Souza no setor ofensivo. Campaz, assim, foi reserva, da mesma forma que Villasanti e Miguel Borja, que defenderam suas seleções nas Eliminatórias.


A ideia treinada por Felipão de iniciar o jogo sufocando o Ceará acabou não aparecendo. Foi o time visitante que ocupou o campo de ataque nos primeiros minutos. O Tricolor até conseguiu avançar suas linhas aos poucos, mas com baixa intensidade nas ações. Escalado como meia, função que costumeiramente tem dificuldade para executar, Alisson acabava caindo muito pelos lados do campo deixando Diego Souza isolado entre os zagueiros Luiz Otávio e Messias. Como Thiago Santos e Lucas Silva são volantes de pouca capacidade de criação, os ataques gremistas dependeram das iniciativas de Jhonata Robert e Ferreira, principalmente.


Ferreira foi o responsável pela primeira finalização perigosa do Tricolor, aos 10, quando arrancou da ponta e chutou por cima do gol do Richard. Ele obrigou o goleiro do Ceará a trabalhar aos 24. Dessa vez, o camisa 11 aproveitou bola escorada por Diego Souza e chutou firme para uma bela defesa de Richard.


Ainda assim, o Grêmio construía pouco para um time com necessidade da vitória. Se houvesse presença de torcida na Arena, certamente algumas vaias teriam surgido quando Alisson apanhou um rebote na entrada da área aos 28 e isolou. Na sequência, Felipão pôde conversar com seus jogadores na parada técnica para reidratação, comum nos jogos das 11 horas.


O Ceará até voltou melhor dessa paralisação, repetindo a presença ofensiva dos primeiros minutos. Os visitantes, porém, não levaram nenhum perigo a Gabriel Chapecó. Quando parecia viver seu pior momento na partida, o Grêmio abriu o placar.


Aos 42, Alisson, pela esquerda, fez o cruzamento para Diego Souza subir mais alto que a defesa e cabecear sem chances para Richard. A situação tricolor ficou melhor ainda três minutos depois. Ferreira recebeu pela esquerda e fez sua jogada característica: levou a bola para dentro e chutou cruzado para definir o 2 a 0 antes do intervalo.


O placar deixou o Grêmio confortável para a etapa final. Sem ter a necessidade de propor, o Tricolor controlou bem os espaços para conter o Ceará, que teve mais a bola nos primeiros minutos, mas sem preocupar Chapecó. Aos 15, Tiago Nunes tentou mudar o cenário com três trocas: Cléber, Marlon e Erick por Jael, Mendoza e Fernando Sobral.


Mas foi o Tricolor que quase marcou. Aos 23, Ferreira fez mais uma bela jogada. Ele passou por Gabriel Dias e chutou colocado uma passou perto da trave direito. Logo na sequência, Felipão fez as primeiras trocas no Grêmio. Villasanti foi a primeira, no lugar de Jhonata Robert, o que mudou o meio-campo para uma formação com três volantes e Alisson atuando aberto. Depois, Borja e Léo Pereira entraram nas vagas de Diego Souza e Ferreira.


Após uma nova parada para reidratação, Felipão fez as últimas mudanças aos 33. Cortez no lugar de Rafinha enquanto Everton, reintegrado ao elenco principal, foi opção para o cansado Alisson.



A partida, na verdade, teve pouca coisa interessante no segundo tempo. Funcionou a proposta do Grêmio de controlar espaços e deixar o tempo passar. Os gols de Diego Souza e Ferreira haviam sido suficientes para garantir a vitória e dar a esperança de que o Grêmio possa fazer um segundo turno muito melhor que o primeiro e se livrar do risco de rebaixamento.

#gremio #imortal #tricolor #brasileirao #ceara

LEIA TAMBÉM: Léo Chú dá assistência e encanta torcedores norte-americanos em estreia

E MAIS: “Fora de campo é mais forte que a CBF”, dirigente do Grêmio detona STJD e cutuca o Flamengo




Comentários



Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Enviar Comentário

Para enviar comentários, você precisa estar cadastrado e logado no nosso site. Para se cadastrar, clique Aqui. Para fazer login, clique Aqui.

Leia também

16/9/2021







Brasileirão - 10:34 (0)

[OPINIÃO] O saldo do Grêmio






15/9/2021

Melhores momentos !!! - 23:41 (0)

Veja os melhores lances de Flamengo 2 x 0 Grêmio